Gustavo Borges conquistou o SURF RS PRO/AM e Robson Gobbato sagrou-se campeão Gaúcho Profissional no ano

Krystian Kymmerson – Foto Rodolfo Martins

Com os resultados paralelos o capixaba é bicampeão Brasileiro ABRASP

A cidade de Torres recebeu a última e decisiva etapa do circuito ABRASP, com o SURF RS PRO/AM – que tem o financiamento pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Secretaria do Esporte e Lazer – Pró-Esporte RS LIE, lei nº 13.924/2012, através do ICMS que você paga – reunindo lendas do Surf e as novas gerações em um circuito Kids, durante os dias 16, 17, 18 e 19 de dezembro, na praia dos Molhes, em Torres (RS).


Altas ondas marcaram a disputa com características climáticas bem peculiares. Sol, chuva, vento, muito vento, frio, calor, muito sol, e muito Surf de qualidade. Esse poderia ser o resumo do evento, mas quis o destino que outros elementos entrassem em cena. O gaúcho Ricardo Kjellin competia em casa com apoio da torcida, mas não conseguiu avançar nas baterias e viu o capixaba Krystian Kymmerson levar para casa o título de bicampeão Brasileiro de Surf Profissional. Kjellin ficou com a segunda colocação nacional, considerado um feito histórico para os gaúchos.

Gustavo Borges – Foto Angelin Demori

Ainda na disputa da categoria Profissional, só que da etapa SURF RS PRO/AM, o melhor atleta foi Gustavo Borges, que somou 14,20 pontos em suas duas melhores ondas e garantiu o primeiro lugar no pódio. A segunda colocação ficou com Walley Guimarães ao somar 13,30 pontos. O terceiro colocado foi Krystian Kymmerson com 12,85 pontos, seguido de perto por José Francisco (Fininho) com 11,15 pontos. Com esses resultados, somados aos das etapas anteriores, deixou Robson Gobbato com o título de campeão Gaúcho Profissional 2020.

José Francisco Fininho – Foto Angelo Demori

“Estou muito feliz por voltar até Torres e ver no final de um ano difícil que os resultados vieram, foram positivos. Esse circuito é muito forte, o Gaúcho também, e todos estão de parabéns. Vim do Espírito Santo com o foco de ser campeão Brasileiro, e consegui. O evento estava perfeito, com tudo que o atleta precisa. Um infraestrutura que não se encontra em qualquer lugar, todos aqui no Sul estão de parabéns por realizarem dessa forma”, destacou Krystian Kymmerson.

Krystian Kymmerson – Foto Isaías Silveira

Já Robson Gobbato parabenizou os demais surfistas e fez um pedido aos empresários. “O nível de surf apresentado aqui foi muito alto, todos estão de parabéns. Quero convidar os empresários para virem conhecer os atletas, conversar e conhecer as oportunidades que podem ter associando suas marcas ao Surf. Temos talentos gigantes, Gustavo Borges, Ricardo Kjellin, Luy Arman, Yasmin Dias, e tantos outros vindo na sequência. Quem sabe se o empresariado se unir, conseguimos ter atletas chegando no circuito mundial?”.

Robson Gobbato – Foto Angelin Demori

O campeão da etapa, Gustavo Borges, demonstrou ciência que precisa seguir forte para atingir objetivos maiores. “Estou feliz, os resultados estão aparecendo. Tenho muito para evoluir, para melhorar, e sei que posso ir longe. Agradeço aos parceiros que estão comigo, que acreditam no potencial do Surf brasileiro. Quero seguir representado o meu país, o meu estado, minha cidade e as marcas que acreditam em mim. Obrigado também a todos que vem para a beira da praia para torcer, os que ficam na internet, que acompanham tudo. Surfo por minha família, patrocinadores, amigos e por todos que amam o esporte. Agradeço a quem organizou e a quem acreditou no evento, no surf, vocês estão fazendo a diferença”, finalizou.

Gustavo Borges – Foto Luciano Sombrio

Na categoria Open o campeão foi Luiz Henrique com 13,50 pontos. O segundo colocado foi Hedieferson Júnior com 12,35, enquanto o terceiro foi Tiago Braga com 12,00 pontos, e o quarto foi Robson Pinheiro com 11,50.
Ainda no sábado, os integrantes do Projeto Social Surfar, que são crianças e adolescentes carentes, em especial do bairro Guarita, realizaram baterias de apresentação. Todos foram premiados com kits e troféus de participação. A ação busca proporcionar integração entre jovens de diferentes classes econômicas e sociais, mostrando que no esporte todos são bem-vindos. O projeto é desenvolvido por surfistas voluntários, sem nenhum fim lucrativo.
No domingo as disputas foram das categorias de base, com os atletas da Sub-10, Sub-12, Sub-14, Sub-16 e Sub-18. Além dos competidores, embora novos, acostumados no circuito, a novidade foi a volta da categoria Surf Adaptado, que reúne deficientes físicos de diversas classificações.
Na categoria Sub-10 o vencedor foi Lorenzo Souza com 7,75, seguido por Pedro Sommer com 6,95, Clarissa Tasca com 4,65, e Antonio Dessimon com 1,45.
Na categoria Sub-12 o bicho-papão foi Lorenzo Souza com 9,65, deixando Davi Ferreira em segundo com 2,80, Pedro Sommer em terceiro com 2,65, e Antonio Dessimon com 1,50.
Na Sub-14 (Iniciantes) o melhor colocado foi Victor Midon com 13,00 pontos. Rodrigo Lima ficou em segundo (5,25), enquanto Luigi Wengrover ficou em terceiro com 3,55, e Natan Rosa em quarto com 2,65.
Na Sub-16 (Mirim) o primeiro colocado foi João Victor (12,75), o segundo foi Victor Midon com 11,25, o terceiro foi Lucas Lopes com 7,35, e o quarto foi Luigi Wengrover com 2,50.
O melhor Sub-18 (Júnior) foi Kaique Garcia com 11,50 pontos. O segundo foi Micael Dimitry com 9,60, seguido por Gabriel Behn com 7,75, e Pedro Sturza com 6,55 pontos.
Na categoria Adaptados o destaque foi para Wladimir Almeida, que é o mais novo de todos os participantes. Claudio Brum, Pedro Segalla e Paulo Ricardo Souza também mostraram suas manobras e deram um exemplo de superação.
O vice-presidente da Liga Rio-Grandense de Surf (LRS), Gabriel de Mello, destacou a importância da união para que o surf cresça no país do futebol. “O que vimos nesse final de semana foi uma pequena prova de que podemos mais. O Esporte é inclusivo, e devemos agregar para construir. Agradecemos a quem acreditou, patrocinou direcionando seu ICMS ou aportando valores e apoios logísticos. Vocês, junto com essa equipe qualificada que temos, ajudam a desenvolver o Surf no país. Aos atletas quero agradecer por virem até o Rio Grande do Sul para lutar pelos seus sonhos. Fazer parte disso tudo me torna um privilegiado”.
No site da Liga, específico do evento http://lrsurf.com.br/surfrs2021/, você pode rever as baterias, resultados individuais e acessar muitos conteúdos nos próximos dias. Também no link da galeria oficial você encontra todas as fotos do evento: https://photos.app.goo.gl/epdHY9ZYuAADwfAFA

A beira da praia dos Molhes contou com uma grande arena montada para receber os atletas e o público. Entre as ações previstas, o projeto Praia Limpa realizou ações de limpeza de praia com voluntários, participantes e o público que prestigiou o evento.
O Casa de Praia Surf Bar trouxe um pouco da atmosfera do local para a arena do evento. A PanVel Farmacias e ULBRA montaram um espaço para que os visitantes pudessem receber orientações sobre cuidados com a pele, liberação miofascial, auriculoterapia, ajuda para alongamento, e distribuição de protetor solar da marca PanVel.
O projeto contou com o patrocínio da Datateck, PanVel Farmácias, Prefeitura Municipal de Torres, Pinho Veículos, VCA Maggi, Orquídea, Casa de Praia Surf Bar, Infinity Imobiliária Digital, Marivan Surf e Skate Shop, e Specialle Pizzaria. Apoio da Caiman Árvores Nativas, ULBRA Torres – #vempraulbra, Rabbit Board CO, Pro Side, Open Internet, Família do Surf, Banana Wax, Nanopoxy, Casa São Paulo Magazine e HipChik. A Supervisão foi da ABRASP, com apoio técnico da FGS e AST. A realização foi da Liga Rio-Grandense de Surf (LRS).