Peterson Marchese foi o grande campeão do TW Group Open de Surf 2021

Peterson Marchese fez valer a experiência e garantiu a vitória

Altas ondas na última etapa do Gaúcho de Surf Amador em Atlântida

O final de semana (20 e 21/11) foi marcado pela qualidade de ondas surfadas em Atlântida, no município de Xangri-lá (RS), durante os dois dias de disputas do Circuito Gaúcho de Surf Amador. Alguns dos principais atletas Amadores do Sul do país duelaram para ver quem ficaria com a coroa de Campeão Gaúcho em 13 categorias. O alto nível técnico, aliado a um clima agradável e boas condições do mar, proporcionou um verdadeiro show de surf para quem acompanhou de perto as manobras na competição.

Na categoria Open o surfista de Tramandaí, Peterson Marchese, levou a melhor e conquistou o título após somar 10,40 pontos em suas duas melhores ondas. O segundo colocado foi Pedro Gross, que obteve 9,50 pontos, seguido por Luiz Henrique (8,20) e Ruan Guimarães (4,85). Com a vitória, Marchese garantiu uma passagem aérea para o Peru, que utilizou para presentear seu pai, também surfista, Giovani Marchese.

Entre os Iniciantes o melhor da etapa foi João Vitor com 10,65 pontos. Victor Midon garantiu a segunda colocação com 7,50, tendo o terceiro colocado o surfista Michael Demétrio com 7,62, e Natan Rosa com 6,65.

Leonardo Bruno não deu chances para os adversários na categoria Júnior, e garantiu a vitória ao somar 9,95 pontos. Micael Dimitry garantiu a segunda colocação com 7,80 pontos. Gabriel Castro ocupou a terceira colocação com 7,50 em suas duas melhores ondas. A quarta colocação ficou nas mãos do surfista Luan Moreno com 6,90 pontos.

Victor Midon não veio para brincadeiras e levou a melhor na categoria Mirim. O surfista somou 9,75 em suas melhores ondas e garantiu a primeira colocação no pódio. O segundo colocado foi João Vitor com 7,65 pontos. A terceira posição ficou nas mãos do atleta Luan Moreno com 6,75. O quarto foi Luigi Wengrover com 6,00 pontos.

Entre as mulheres a melhor foi Yasmin Dias, que confirmou o favoritismo e garantiu o primeiro lugar na categoria Feminino com o somatório em 6,85 pontos. Mariana De Bortoli ficou com a segunda colocação com 3,45 pontos. Aline Lenz ocupou a terceira posição no pódio com 2,85 pontos. Clarissa Taska conseguiu 1,50 pontos e Luiza Matias somou 1,35.

Michael Demétrio garantiu o título com 6,90 pontos na categoria Grommets, seguido por Rodrigo Acom (6,75), João Guilherme (4,85), Pedro Sommer (3,10). 

Entre os Petiz o primeiro colocado foi Lourenzo Souza com 8,25 pontos, seguido por Pedro Sommer (5,25), Lucca Wengrover (4,10), e Gustavo Lenz (2,75).

O melhor Master foi Ki Fornari com 10,70 pontos em suas duas melhores ondas. O segundo colocado foi Ícaro Martins com 8,65 pontos, seguido por Maurício Nunes (8,65), e Pedro Gross (8,10).

E Ki Fornari ainda venceu a categoria Longboard por 0,20 pontos de diferença do segundo colocado. Fornari somou 7,75 pontos, enquanto Ricardo Bescow conseguiu 7,55 pontos. O terceiro lugar ficou com Orlando Correa que obteve o somatório de 6,55 pontos, seguido por Cristiano Dias (5,50) e Marcio Midon (3,70).

Entre os atletas Locais, o melhor foi José Luiz Mello com 9,40 pontos. Paulo Lobato ficou com a segunda colocação 8,70. Rodrigo Freitas garantiu o terceiro lugar com 8,40 pontos, e Luiz Henrique fechou a bateria final com 7,35 pontos.

Para os ainda mais experientes, os Kahuna, Toninho Flores mostrou a que veio e com 8,40 pontos ficou com o título. Eduardo Sukienik ficou com o segundo lugar ao somar 7,10 pontos. O terceiro colocado foi Fabio Magdaleno com 5,75. Angelo Guela fechou a bateria final com 5,45 pontos.

A categoria Colegial POA foi vencida por Vitor Averbuch com 6,00 pontos. O segundo colocado foi Sílvio De Rose (5,90), seguido por Bernardo Bidart (4,50), e Rodrigo Lima (4,10).

Um momento especial da competição foi a bateria AdaptSurf, com atletas que apresentam alguma limitação física. Pedro Segala somou 9,25 pontos e garantiu o título. O segundo colocado foi Claudio Brum (7,15), enquanto Wladimir de Almeida (6,95) ficou com a terceira posição, seguido por João Sanguitan com 6,50. Esses atletas mostraram o quanto o Surf pode ser inclusivo e difundido para todos, mesmo com dificuldades motoras de qualquer tamanho.

E não parou por aí, o evento marcou a retomada da APS, associação local, que contou com o importante apoio da Prefeitura de Xangri-lá para a realização do TW Group Open de Surf. A EB marcou presença com seu apoio e o test-drive das pranchas de uma das marcas mais tradicionais do Rio Grande do Sul.

Segundo o presidente da Federação Gaúcha de Surf, Fernando Cunha, os atletas estão de parabéns pelos resultados. “Sabemos que todos merecem a vitória, alguns conseguiram se sobressair em suas baterias e levaram a melhor. Isso é o esporte. Mas todos merecem ser celebrados por estarem acreditando no Surf. Agradeço os patrocinadores e apoiadores, sem eles não conseguiríamos fazer um evento tão significativo como esse. Queremos cada vez mais a união do Surf no Rio Grande do Sul, unir as entidades em prol do esporte, da qualidade de vida e do bem comum”.
Agora, na próxima semana, a Federação Gaúcha de Surf irá apresentar os campeões do Circuito Estadual, com suas respectivas pontuações, e anunciar como será a grande cerimônia de premiação. Aguarde o anúncio! 

O TW Group Open de Surf movimentou a beira da praia em Atlântida. Ao todo foram 62 baterias, 1.352 ondas surfadas em dois dias de competição. O evento contou com a apresentação da Noblesse – absoluta em bairros nobres, o patrocínio da EB Surfboards; Planeta Surf Board Shop; OR Advocacia; e Okdok. O apoio foi do Bali Beach Pub; Supermercado Avenida com você na água; HLB; Deck 22; Nanopoxi Produtos Químicos; Maresia; e Prefeitura de Xangri-lá, através da Secretaria de Turismo, Meio Ambiente e Agricultura. A Supervisão Técnica foi da Federação Gaúcha de Surf e Liga Rio-Grandense de Surf. A realização foi da Associação de Atlântida Pro Surf (APS). 

Confira a galeria completa de imagens do fotógrafo @davidcastrophotos